DREDGE é uma misteriosa e profunda aventura de pescaria – Review

DREDGE é uma memorável aventura de pescaria a qual a bordo de um barco, você tentará garantir o peixe de cada dia em um mar de mistérios.

Tempo de leitura: 5 minutos


O mar, essa extensão de água salgada sem precedentes, reserva alguns dos maiores mistérios da humanidade até os dias de hoje, o mesmo tem uma energia difícil de descrever, e quando estamos em algum ponto dele, sentimos o reflexo positivo e/ou negativo dessa energia. DREDGE é um jogo tão singular no que diz respeito à experiência que evoca, cujo conceito é proporcionar uma verdadeira representação digital do que é ser pescador e estar no mar a bordo de um barco.

Imagine-se um pescador de passado e presente difícil, e consequentemente futuro incerto… se isso é algo estranho ou não, somente você pode me dizer, porém o intuito aqui é te incentivar a se deixar levar pelas características de construção do personagem que é apresentado no começo da sua aventura em DREDGE.

Vindo do horizonte, está você, o pescador. – Screenshot: Nintendo Switch/Joguindie

Você, no papel de um ascendente pescador, vai fazer atividades em sua maioria de pesca, embora nem só de peixes um pescador precise necessariamente viver. Mas como é esse lance de ser pescador?… Na vida real, não faço ideia, mas em uma experiência digital e jogável, adianto que é simplesmente incrível, e tamanho adjetivo se faz coeso devido a experiência memorável que DREDGE consegue proporcionar.

Da doca de Medula Maior, seu humilde barco é livre para desbravar os mares, embora de início não seja aconselhável. DREDGE é um jogo amante da calmaria, cujo antônimo é agitação, então se prepare! Um dia do caçador, outro da caça.

O mar do jogo reserva uma quantidade generosa de espécies marinhas, praticamente todas podem ser parte do seu pescado, mas é preciso equipamentos adequados para isso. Muitas das suas descobertas serão responsáveis pelo seu sustento, o fator exploração é algo levado a sério. Quanto mais você consegue explorar e consequentemente descobrir, mais consegue progredir, simples assim. Difícil é estruturar uma embarcação capaz de lidar com as adversidades presentes no mar.

Para a esquerda, distante das nuvens mais densas. – Screenshot: Nintendo Switch/Joguindie

Além dos peixes e outros achados provenientes de outras embarcações, o mar reserva descobertas que não cabe a mim compartilhar, e quem garante que não seria conversa de pescador?… 😀

De certo modo, qualquer achado que possa preencher um espaço do seu barco, é convertido em algo de valor agregado. O dinheiro pode ser muito bem gasto com equipamentos melhores e melhorias para o seu barco, assim como também os achados de embarcações.

Se o seu barco não estiver preparado para o mar, será engolido. A vida de pescador em DREDGE pede por um barco cada vez mais preparado, seja com um motor mais forte para aumentar sua velocidade, até um casco novo capaz de armazenar mais coisas. A efetividade da exploração de determinados locais requer melhorias no barco e determinados equipamentos presentes, caso contrário não será possível explorar de fato. Diversos aspectos do barco podem ser melhorados, e cada melhoria contribui de algum modo na sua exploração. Além das melhorias no barco, é possível desbloquear equipamentos de pesca mais avançados.

Agora desolado, sem um caminho para seguir. – Screenshot: Nintendo Switch/Joguindie

Não faltam recursos para favorecer a sua empreitada no mar, porém cada um deles tem um preço, então é tudo uma questão de até onde e o quanto você está disposto a arcar… Não se engane, apesar de ser um jogo amigável, ele valoriza todo o esforço, e faz questão de deixar isso bem explícito no desenrolar da sua progressão.

A possibilidade de explorar os mares é uma das razões de DREDGE ser um jogo tão especial, quando você está navegando pelo mar, todo o resto é esquecido. É uma característica difícil de descrever, mas que quando sentida, faz você entender do que eu estou falando. Algumas vezes é sereno, outras inquietante, então profundo, e também libertador. É um mix de sentimentos, e todos de algum modo fazem você refletir sobre a sua jornada.

Embora você queira sair e explorar sem hora para voltar para casa, o cansaço é certo, e você deverá descansar, caso contrário será dominado pela exaustão, e as consequências não serão nada agradáveis. Devaneios tomarão conta de você, e o desfecho será difícil de prever. Imagine quando a escuridão chegar… você não vai querer estar no mar, sua sanidade ficará comprometida, e se localizar diante tanta vastidão requer uma boa noção geográfica — mistérios de DREDGE…

O peixeiro recolhe seu pescado. – Screenshot: Nintendo Switch/Joguindie

No quesito pescaria, DREDGE sabe como trabalhar o espírito da coisa, mas não tenta ser profundo sobre, o sistema de pesca é simples, exigindo alguns reflexos. Dada a boa quantidade de espécies de peixes e vezes que será necessário pescá-los para conseguir uma quantia expressiva de dinheiro, faz sentido uma menor profundidade no sistema de pesca.

Depois de fisgado, seu peixe deverá ser acomodado no barco, sabe tetris? Cada peixe é como uma peça de tetris que pode ser encaixada em um espaço do seu barco. É um conceito bem interessante, pois você acaba tendo que resolver um pequeno puzzle a cada novo peixe devido a limitação de espaço do seu barco.

Algumas características de DREDGE foram evidentemente caprichadas com o propósito de enaltecer a experiência como um todo. A direção de arte do jogo é primorosa, basicamente o que pode ser visto, pode ser contemplado, isso para um jogo tão reflexivo em aspectos exploratórios, faz toda a diferença. A trilha sonora composta por David Mason completa as sensações que o jogo procura evocar, explorando a serenidade, sensibilidade, e até angustia.

O Sol, além do horizonte. – Screenshot: Nintendo Switch/Joguindie

DREDGE é uma experiência singular capaz de aumentar a conexão entre você com… você mesmo. As vezes a gente é tocado por algo de um jeito tão particular… quando comecei a jogar DREDGE, fiquei durante algum tempo acompanhando o movimento do meu barco pela água enquanto o sol se punha. Aquilo me fisgou de um jeito, que toda vez que eu partia com o meu barco durante o período da manhã, eu fazia a mesma coisa. Com o passar do tempo em DREDGE, fui percebendo aos poucos que eu estava dentro de uma rotina, e quando finalmente me dei conta disso, percebi que eu estava levando uma “vida de pescador”, a qual me alegrava ao mesmo tempo que me entristecia, os sentimentos opostos complementares se intensificavam, talvez um reflexo do constante estado reflexivo que DREDGE era capaz de desencadear.

A cópia do jogo utilizada para essa review foi generosamente disponibilizada pela assessoria de imprensa da Team17, distribuidora do jogo, a qual agradeço pela confiança.

Leia mais


Publicado

em

por