[Análise] Salt and Sanctuary testa sua capacidade de sobrevivência

em Análises/PC/Sony por

Depois de muitos anos habituada com o desenvolvimento de jogos para as plataformas da Microsoft a Ska Studios, desenvolvedora da série The Dishwasher e Charlie Murder, teve sua aguardada estreia nas plataformas PlayStation com Salt and Sanctuary, um RPG de ação em 2D inspirado no aclamado Dark Souls.

Salt and Sanctuary conta a história de um indivíduo de raízes humildes que pode ter sido um guerreiro, mago, caçador ou até mesmo um simples cozinheiro, tudo depende da sua escolha pessoal. Durante uma missão diplomática uma calamidade naufraga o navio que você estava em uma desconhecida ilha, palco de intermináveis batalhas pela sobrevivência.

O desenrolar da sua constante luta pela sobrevivência começa com armamento precário em um lugar dominado por forças ocultas, criaturas parrudas, e a missão de encontra maneiras de sobreviver enquanto conquista aos poucos prática e precisão. A ação é implementada a todo instante que houver inimigos, forçando a exaustão de controles por conta de movimentação, ataques, troca de armas, escolha de itens, e todos estes elementos conhecidos de jogos do tipo, porém sendo requisitados a sério várias vezes durante os acontecimentos.

O descanso é breve e acontece nos santuários, lugares sagrados no qual você desenvolve as características do seu personagem evoluindo, manipulando a árvore de habilidades, comprando itens, armas e armaduras, assim como diversas outras coisas, tudo dependendo da quantidade de oferendas feita no altar do santuário. Há vários santuários pelo jogo, geralmente distantes um do outro. Os santuários encontrados são escassos, através de oferendas você consegue alimentar os santuários individualmente com NPCs conforme sua necessidade. Existem diversos tipos de santuários com NPCs específicos, poções e itens de apoio diferente. Algumas lugares podem ser abençoadas com um santuário, beneficiando seu personagem com um lugar modesto para repor as energias.

É praxe de jogos RPG oferecerem muitas possibilidades, Salt and Sanctuary segue pelo mesmo caminho, mas sem parecer um jogo confuso que deixa os jogadores perdidos com tantas coisas para conseguir e fazer. Através de um conceito pouco linear, você é livre para fazer praticamente o que quiser e seguir por vários caminhos, obviamente alguns deverão ser destravados, mas é sua escolha seguir pela progressão. Talvez por conta dos elementos de ação as inteligentes decisões em características RPG estão concentradas na acessibilidade do jogo, a própria árvore de habilidades mesmo com aparência complexa, é simples e intuitiva, possibilitando melhorias nos status Principais, Combate e Defesa do personagem sem exigir conhecimentos tão aprofundados, beneficiando jogadores despreocupados ou híbridos.

A defesa do cara é quase uma barricada.
A defesa do cara é quase uma barricada.

A dificuldade é a maior virtude do jogo, propondo uma experiência estimulante de constante persistência. A morte será um processo de cessamento contínuo que exige de você adaptação e compreensão de como é estar com vida, morrer por uma criatura casca grossa, chefe insano, armadilha perdida, queda livre, ou qualquer outra coisa, é tão normal quanto perambular vivo.

Praticamente tudo que você pode destruir derruba sal, mineral essencial para evoluir e melhorar algumas armas e armaduras. Alguns cuidados devem ser tomados ao carregar quantidades elevadas de sal, morrer para criaturas forte demais ou ser pego de surpresa por entrar na zona de algum chefe insano carregando bastante sal penaliza seu tempo de desenvolvimento.  Se você não visitar frequentemente os santuários para trocar sal por nível e melhorias, quando morrer todo sal será tomado pela causa da sua morte, na maioria das vezes você pode recuperar, porém se morrer no processo todo sal será perdido para sempre.

Ficar atento ao desenvolvimento do personagem é necessário para progredir no jogo, muitos locais podem ser visitados, mas poucos devidamente explorados por causa do nível de dificuldade insano, subir de nível constantemente para melhorar habilidades, encontrar, comprar e aprimorar armas e armaduras, e manter seu estoque de poções e demais itens em dia são tarefas importantíssimas.

É tão bom estar em um lugar seguro.
É tão bom estar em um lugar seguro.

Itens no geral são difíceis de obter, mas não pela escassez, Salt and Sanctuary possui uma quantidade incrível de itens para as mais variadas finalidades. Tem item para várias coisas, inclusive se você quiser deixar uma mensagem dentro de um frasco.

Os combates são maravilhosos, funcionam em perfeita harmonia com os controles e transmitem excelente sensação de impacto. É realmente prazeroso matar criaturas, principalmente durante combates corpo a corpo, aliás são um show a parte, segurar firme seu escudo esperando uma brecha do inimigo é recompensador pela chance de conseguir dar aquele golpe cinematográfico. Administrar recursos durante os combates é essencial, caso contrário rapidamente você será abatido, há uma barra de energia sendo gasta a cada simples golpe.

Os chefes proporcionam alguns dos combates mais épicos do jogo ao força a precisão e compreensão dos jogadores por causa dos seus movimentos e ataques sem piedade. Não basta subir de nível, evitar chefes até ficar mais forte ou deixar nos slots várias poções de apoio, derrotar um chefe requer habilidades que só enfrentando várias vezes um mesmo chefe você consegue conquistar.

Um chefe sem piedade.
Um chefe sem piedade.

Poder convidar um amigo para jogar junto com você é surpreendente, mas convenhamos que nem sempre será uma boa ideia em um jogo desafiador como este. A vantagem do co-op é justamente contar com ajuda de alguém, então é interessante que ambos sejam jogadores experientes, caso contrário a dificuldade insana vai massacrar os dois. Uma coisa muito divertida do co-op é o PvP, melhor maneira de comparar forças com seu amigo lutando contra ele.

O jogo tem arte desenhada à mão que mistura cuidadosamente conceitos artísticos desenvolvidos pela própria Ska Studios ao passar dos anos. A atmosfera dominada pela escuridão é perfeitamente realçada nas características vibrantes e obscuras da arte. As sensações despertadas pelo trabalho artístico torna a experiência perturbadora, exatamente como a ambientação proclama.

A trilha sonora complementa a obscuridade do jogo com canções caprichadas no heavy metal. Os acontecimentos são fielmente representados pela trilha, propondo sensação de imersão na escuridão.

Salt and Sanctuary é um jogo que sabe trabalhar desafios de forma estimulante. A impecável execução de conceitos existentes com charme próprio demonstra impressionante comprometimento da Ska Studios. A diversão é tamanha que dezenas de horas parecem insignificante.

Um cara de vinte e poucos anos apaixonado pelas coisas pequenas da vida. É editor no Joguindie, seu maior xodó. Ascendente escritor, desenvolvedor e empreendedor. Sua vida é repleta de coisas para fazer, pouco tempo para si, muito trabalho duro e determinação. Gosta de jogar, ouvir músicas, ler quadrinhos, assistir filmes e animes, comer salgadinho, beber refrigerante de limão, ficar em casa, e tantas outras coisas simples, mas valiosas para sua vida.

Comente

Seu endereço de email não será publicado.

*

Mais recente em Análises

[Análise] Slayaway Camp

Slayaway Camp homenageia os filmes de terror clássico de maneira cômica através

[Análise] LEGO Worlds

LEGO Worlds é uma das grandes demonstrações do comprometimento da TT Games
Ir ao Topo