Dungeon Souls

[Análise] Viva freneticamente em Dungeon Souls

em Análises/Jogos Indie/PC por

Lamina Studios realizou um trabalho excelente em Dungeon Souls, um roguelike com características únicas.
Inspirado em jogos como Risk of Rain e Overture, Dungeon Souls é belo e frenético, com modo singleplayer e co-op local, vai divertir você e seus amigos por muitas horas, dias e até semanas.

Ambientando em dungeons, o jogo é básico, você começa escolhendo um personagem, tendo disponíveis até dez personagens, sendo somente três deles selecionáveis no início, mas para desbloquear os restantes não é complicado.

Após a escolha do seu personagem, você é redirecionado para a primeira dungeon, onde seu objetivo é encontrar marcas, que ao se aproximar, despertará uma horda de inimigos. Utilize seus ataques ou até mesmo suas habilidades disponíveis para derrotá-los e partir para a próxima marca, em cada dungeon, varia entre 2-5 marcas a serem encontradas, para prosseguir até a próxima dungeon, encontre todas do local atual onde você está, após encontrar todas, você tem um breve tempo para ir para a próxima, ou então um inimigo forte começará a te perseguir e lhe sugar vida.

Dungeon Souls: A primeira vez que enfrentei esse boss, eu admito ter sentido uma adrenalina enorme
A primeira vez que enfrentei esse boss, eu admito ter sentido uma adrenalina enorme.

Sem foco grande em enredo, mas com bosses divertidos, Dungeon Souls te prende com todos os seus recursos. Ao prestar atenção na trilha sonora e no tom que traz a cada dungeon e boss, o jogador se sente na adrenalina concebida pelo jogo.

O título “Souls”, não é por acaso, com dificuldade inspirada nos jogos da série “Souls” (Dark Souls, Demon’s Souls), o jogo te coloca em diversos desafios, o maior deles, é não ter Save Game, característica típica de roguelike, onde você avança, mas não pode ser derrotado, já que caso isso aconteça, todo seu nível e seus itens são perdidos.

Dungeon Souls: A vida aqui não é mole não.
A vida aqui não é mole não.

Outro fator interessante que eleva a dificuldade é o shop disponível em cada dungeon, nele geralmente há 3 itens para comprar, mas só dar para escolher um, dificultando a decisão a ser tomada sobre o que será bom para o personagem atual e se ajudará na próxima dungeon.

A jogabilidade é um fator interessante em Dungeon Souls, sendo básica e dinâmica, agrega e muito na imersão do jogador.

Não demora muito para perceber que está a horas jogando e não se cansou de explorar as mais diversas dungeons e derrotar diferentes tipos de inimigos. É divertido experimentar novos personagens, testar outros tipos de itens, até mesmo estratégias, enfrentar bosses “carismáticos”, e tudo isso ao som de uma trilha sonora maravilhosa.

Dungeon Souls acerta em um ponto critico de ser ótimo para quem é fã de roguelike e é excelente para quem quer conhecer o gênero.

Desenvolvedor de jogos indies, apaixonado por soundtracks, sempre com uma garrafa de água na mão, alguns tantos anos, respira jogos e se não souber onde me encontrar, talvez me veja online em algum jogo ai.

Deixe um comentário

Mais recente em Análises

[Análise] Slayaway Camp

Slayaway Camp homenageia os filmes de terror clássico de maneira cômica através
Ir ao Topo