Feist

[Análise] FEIST possui uma alma além da obscuridade

em Análises/PC por

Algumas vezes tenho experiências únicas, outras nem tanto… embora seja uma pessoa pouco religiosa, gosto de imaginar que alguns jogos indie possuem alma própria. FEIST é um desses indies que possuem uma alma, um esforço maior para criar criaturas de personalidade. As criaturas criadas para dar vida ao mundo de FEIST são confusas, desconhecidas e pouco amigáveis. Apesar de parecerem meras criaturas auto programadas, inspiradas em outras criaturas da nossa realidade, as mesmas provocam uma sensação de naturalidade impressionante.

Criaturas são peculiares por serem criaturas, a peculiaridade das criaturas presentes em FEIST não é criada pelos movimentos baseado em física natural que fazem, mas por sua estranheza. É realmente muito estranho a forma como as criaturas reagem, criando um tipo de afinco existencial dentro da sua mente.

Deduzir o que está acontecendo naquele mundo confuso, assim como o que se passa na cabeça das criaturas, é instigante; e mesmo você aparentando uma delas, embora reclusa, caminhando solitariamente pela sobrevivência em uma floresta repleta de armadilhas e criaturas hostis, tudo isso acaba provocando algo que pode surpreender seu imaginário.

O contato com uma dessas criaturas é bem mais hostil que com uma taturana.
O contato com uma dessas criaturas é bem mais hostil que com uma taturana.

Muito do conceito é sobre caminhar pela sobrevivência, você prossegue em rolagem lateral até o final do cenário para ir ao próximo. Ao final de cada cenário existe um desafio, no começo uma breve apresentação dependendo…

A atmosfera é magnífica, alcança os olhos com preto predominante e brilho equilibrado. Há algumas pequenas semelhanças com Limbo cuidadosamente executadas, afastando quaisquer comparações diretas entre ambos.

O visual criado é entorpecente e deliberado, deixando algo maior dentro da simplicidade adotada para amantes e entusiastas do estilo predominante por uma cor.

Os lindos efeitos de iluminação foram trabalhado em uma camada de fundo em gradiente com cores frias e quentes.
Os lindos efeitos de iluminação foram trabalhado em uma camada de fundo em gradiente com cores frias e quentes.

É incrível como FEIST conseguiu equilibrar boa parte dos seus elementos e fazer com que cada um deles conseguisse brilhar. O level design dos cenários é minuciosamente planejado, bem didático e direto ao ponto. A atenção dada a AI das criaturas é uma das coisas mais admiráveis do jogo, a peculiaridade feroz e única de cada uma das criaturas teve um toque especial. Agora a física… pense um pouco sobre cálculos, porque a quantidade presente por debaixo do preto é absurda, os efeitos de ação e reação conseguem chegar até você, e a sensação é muito boa.

Se nos visuais FEIST não peca, nos efeitos de som e soundtrack muito menos. 😛 Os efeitos de som retratam sons comuns da natureza de cada elemento com tamanha naturalidade. A trilha sonora composta por Tomek Kolczynski encaixa perfeitamente bem na atmosfera em constante transformação.

O nível de dificuldade de FEIST é crescente a cada novo cenário, os desafios pelo caminho são relativamente fáceis até um determinado ponto, quando você realmente terá que descobrir uma maneira de se safar das armadilhas e criaturas. No geral, o jogo é bem difícil, exigindo alguma habilidade, mas é quando aparece as bestas que a coisa fica espantosamente difícil.

Uma batalha épica pela sobrevivência está prestes a acontecer. Taca-le pau!!!
Uma batalha épica pela sobrevivência está prestes a acontecer. Taca-le pau!!!

Em FEIST existem criaturas maiores que possuem habilidades únicas, e não gostam nem um pouco da sua presença. Boa parte da excitação está nos combates dessas criaturas, o jogo é levado para outro ritmo, e você é deixado a mercê da própria vontade de sobreviver. A ferocidade das bestas durante ataques e arremessos tiram suspiros, e sobrevive o mais apto.

O trabalho da Bits & Beasts em FEIST foi primoroso, mas não é livre de falhas. A elogiada física as vezes parece desbalanceada, há um problema de salvamento bem chato, como quando você para de jogar em um determinado lugar do cenário, e ao retornar está no começo do cenário. Em algumas partes do cenários, principalmente enquanto volta de uma morte precoce, ocorre algumas quedas de FPS. Obviamente são falhas técnicas que provavelmente serão corrigidas rapidamente em alguma atualização, mas é importante que esteja ciente.

FEIST ficou mais de seis anos em desenvolvimento, e talvez por isso seja um jogo tão puro, houve um trabalho dobrado da parte dos desenvolvedores na hora de transmitir seus sentimentos para dentro do jogo, e a sensação quando somos tocados pelos seus esforços é impressionante. A experiência proporcionada por FEIST demonstra uma alma além da obscuridade.

Um cara de vinte e poucos anos apaixonado pelas coisas pequenas da vida. É editor no Joguindie, seu maior xodó. Ascendente escritor, desenvolvedor e empreendedor. Sua vida é repleta de coisas para fazer, pouco tempo para si, muito trabalho duro e determinação. Gosta de jogar, ouvir músicas, ler quadrinhos, assistir filmes e animes, comer salgadinho, beber refrigerante de limão, ficar em casa, e tantas outras coisas simples, mas valiosas para sua vida.

8 Comentários

  1. Rapaz eu vi esse jogo 3 dias e meio antes de seu lançamento, tinha o time pra quando seria lançado na Steam, e eu jah tava desesperado pra poder jogá-lo, fico imaginando se eu tivesse visto ele no início do projeto, imagina esperar 6 anos pra ver essa beleza…

    Ótimo jogo, ótimo site, ótimo texto. Felicidade como sinto agora vai demorar pra acontecer de novo, vlew….

    • Nem fale cara… 6 anos esperando seria realmente um tempo e tanto. Lembro de ter visto algo breve sobre o jogo na época que escrevia no Play Indie Games, mas não rolou muito interesse.

      Há alguns meses estava ansioso pelo lançamento de FEIST, então realmente foi um grande lançamento para mim.

      Obrigado pela força! 🙂

  2. Cara, felicidade maior do que ter achado esse jogo, foi ter achado seu site. Bonito, intuitivo, bem construído, bom conteúdo… Enfim. Ótima qualidade. Seu site é a definição do próprio “indie”. Hahaha’ Continue assim.

Deixe um comentário

Mais recente em Análises

Ir ao Topo