Castle Torgeath

[Análise] Castle Torgeath traz à tona a sensação de jogar um RPG de mesa em 3D

em Análises/PC por

Castle Torgeath é um jogo de RPG que se espelha no antigo formato do gênero, exploração, monstros e uma dungeon, simples e direto. A Dungeoneering Studios, desenvolvedora do game, conta com apenas 3 pessoas, 1 programador e 2 designers, que foi mais que o suficiente para recriar a sensação de estar jogando um RPG de mesa em 3D.

Castle Torgeath: Ambientação ideal, característica dos RPG antigos.
Ambientação ideal, característica dos RPG antigos.

A ambientação do jogo é muito bem planejada, onde o jogador tem a impressão de estar sozinho o tempo todo. Como o nome sugere, o game se passa em um castelo, mas nada de ouro, jóias e um tapete vermelho na entrada. Corredores escuros, mobília destruída e armadilhas que farão com que o jogador olhe para os dois lados antes de atravessar uma sala de jantar. Sua missão é simples: você foi enviado por seu “amigo” para descobrir o que aconteceu nesse lugar infestado de monstros.

Castle Torgeath: Sistema de inventário organizado e bem pensado.
Sistema de inventário organizado e bem pensado.

O game apresenta uma mecânica bem ousada, misturando elementos antigos com novos. Dentre essas mecânicas podemos citar: uma barra de “fome”, que se esvaziar o personagem morre, e outro medidor dizendo quanto tempo a tocha vai ficar acesa, pois sem ela é só você e um palmo de visão a frente.

Mesmo com a ambientação ideal, o game peca um pouco nos combates, em alguns momentos você se sente frustrado por dar um golpe em um inimigo que estava bem debaixo do seu nariz, mas atravessá-lo com sua arma ao invés de acerta-lo, o que pode ser ruim, já que as poções de curar vida são bem raras.

Castle Torgeath: Bugs ocorrem no combate, mas é um belo RPG raiz!
Bugs ocorrem no combate, mas é um belo RPG raiz!

Recomendado para aqueles que querem um sentimento de nostalgia e que não se importam de sofrer um pouco nos combates, e para quem está carente de um RPG clássico.

Castle Torgeath revive o RPG raiz, com ambientação ideal, elementos interessantes, porém, deixa a desejar no quesito combate.

Lead Designer de jogos, apaixonado por Metallica e guitarrista nas horas vagas... Quando não estou ouvindo rock, o rock está me ouvindo, sou apaixonado por jogos e fascinado por RPG's, Oi eu sou o Kevin.

Comente

Seu endereço de email não será publicado.

*

Mais recente em Análises

[Análise] LEGO Worlds

LEGO Worlds é uma das grandes demonstrações do comprometimento da TT Games
Ir ao Topo